Ir para conteúdo

Ferrari Dino 246 GT

Ferrari Dino

Naquela manhã de sábado acordei com uma grande expectativa. Afinal, iria fotografar a primeira Ferrari do blog e, ainda por cima, a única equipada com motor V6 na história da marca. Incrível! A Dino, homenagem ao filho do comendador Enzo, não tem o logotipo da escuderia no capô. Porém, se tornou um verdadeiro ícone com o passar dos anos.

246 GT

Cockpit

V6

Tradição

Macchina

Perfil

Inspiração

VÍDEO

Para cada ensaio escolho um CD específico para servir de inspiração pelo caminho. Neste caso, deixei o mesmo da semana passada, com clássicos da música italiana. A primeira faixa começou com “Il Mondo”, uma canção que, curiosamente, sempre me lembrou Ferrari. Talvez pelos acordes e pelo ritmo que vai ganhando fôlego, justamente como o motor da macchina, uma sinfonia de válvulas e comandos, graves e agudos.

A história desse modelo nasceu da necessidade da empresa de homologar seus propulsores para disputar a temporada de Fórmula 2. O motor, por outro lado, foi desenvolvido bem antes, na década de 50, obra de Vittorio Jano e Alfredino Ferrari, que morreu logo após o desfecho do projeto.

Voltando a São Paulo, Mário Richard, o proprietário, já me esperava. Dentro da garagem, o clássico com as rodas Campagnolo. Belíssimo! Me acomodei confortavelmente e foi dada a partida. O ronco encorpado do bloco de 2,4 litros e 195 cv brutos tomou conta do ambiente. A cavalaria se apresentou com disposição de sobra. Saímos. O motor central fica bem atrás do motorista e transmite uma sensação de força e esportividade impressionante.

O namoro do dono com o carro foi longo. “Conheci esse auto em 1980 e seu proprietário Nataniel chegou a possuir dois exemplares, tendo migrado as melhores peças para este”, conta. “Em 2003 ele me ligou dizendo que estava saindo definitivamente do país e fizemos a negociação no fio do bigode. Primeiro a transferência, pagamento e só depois fui ver a máquina. Nota 9 para mecânica e 7,5 para o aspecto. Só que eu queria 9,5 para este quesito”, revela.

Com o carro em mãos seguiu-se uma restauração criteriosa, a cargo do saudoso Manolo. “Consegui uma tapeçaria nova original e silencioso inox. Na oficina os pára-lamas foram destacados, os parafusos foram bi-cromatizados, a carroceria repintada, todas as borrachas e buchas substituídas. A reforma levou apenas três meses”, ressalta. “O próprio Manolo dizia que fora do Brasil seria difícil encontrar outro exemplar nesse estado”, salienta.

Nem preciso dizer que o modelo é raro no país e, segundo o dono, das quarenta unidades que chegaram por aqui, hoje em dia devem rodar apenas dez ou doze, no máximo. Dando uma volta e vendo a reação das pessoas entendi realmente que a marca do cavalinho rampante é mais do que paixão, é religião. Isso explica a quantidade de tifosi espalhados pelo mundo atrás dos bólidos da Fórmula 1, gritando duas palavras em uma só voz: Forza Ferrari!

Garagem do Bellote Ver tudo

O maior e mais antigo canal de carros clássicos do Brasil.
Renato Bellote, 41, é jornalista automotivo em São Paulo e colunista do portal IG. Nesse canal traz avaliações a bordo de clássicos, superesportivos, picapes e modelos atuais do mercado.

Garagem do Bellote TV: paixão por carros!

Imagens protegidas pela Lei de Direitos Autorais (Nº 9610/98)

11 comentários em “Ferrari Dino 246 GT Deixe um comentário

  1. Nossa, Renato… que emoção, não é mesmo? Eu só de ler já me arrepiei.A \”machina\” é linda, o texto está uma delícia de ler e as fotos estão maravilhosas!!!! Parabéns novamente, só posso mesmo ser sua fã…eeeeeeeeeeeee… viva!!!!Gde abraço, Namastê!!!!Telma Ramos

    Curtir

  2. Carro lindo, muito bem conservado, raro e funcionando perfeitamente.Quanto ao trabalho, ótimo tambem, as fotos ficaram ótimas e o vídeo mostra como é o carro funcionando.Parabens, espero que seja a primeira de muitas agora.(mesmo eu gostando mais de porsche)AbraçosCarlos Eduardo Szépkúthy

    Curtir

  3. Há muito tempo atrás quando era moleque tinha uma dessa em Petrópolis na oficina do Zé Miloski, ficou lá 1 ano mais ou menos, nas férias sempre que podia dava uma escapada e ia lá encher a paciência do Zé para deixar eu entrar e \”dirigir\” a preciosidade que ele guardava. Bons tempos…Fico imaginando se não a mesma ? afinal não deve haver muitas Dino aqui no Brasil.absFilipe W

    Curtir

  4. Otimo texto e belíssimas fotos mais uma vez, Bellote.Sua garagem ganha uma peça de muito valor, nem tanto monetario, mas histórico, importante e digno como só uma Ferrari é capaz de oferecer.Parabens mais uma vez a voce e ao feliz proprietario dessa bella e rara macchina.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: