Ir para conteúdo

PORSCHE 550 SPYDER: REBELDE SEM CAUSA

O dia 30 de setembro de 1955 entrou para a história. Nessa data, um jovem ator acelerava um carro-esporte em uma estrada deserta da Califórnia – a Highway 46 – tendo à sua frente a visão do sol poente. Perto dali, na intersecção com a 41, um outro jovem seguia em direção ao seu destino.

Perto das seis da tarde, dois ícones surgiram e passaram a ser associados durante os anos subseqüentes: James Dean e o Porsche 550 Spyder.  O cruzamento hoje em dia é cultuado pelos fãs, que deixam flores e mensagens. Como se Dean ainda passasse por ali.

A história do 550, por outro lado, começou no Salão de Paris, em 1953. A idéia da Porsche era criar um grande vencedor de corridas. E alcançou seu objetivo, levando o troféu na Targa Florio, 24 horas de Le Mans e Carrera Panamericana, além de outras vitórias nos Estados Unidos. Somente noventa unidades foram produzidas.

Para o gerente de projetos Fábio da Silva Borges, o clássico significa muito mais do que simplesmente um carro de competição. “Sempre gostei muito de automóveis e, como sou o caçula da família, tive contato com os carros dos meus pais e irmãos”, conta. “Além do mais, passei grande parte da minha infância na oficina do meu pai”, revela.

A paixão acabou tomando forma em meados de 2002. “Comprei um kit da Brauna Carrocerias – mais conhecido como o Augusto da Vila Carrão – e montei 100% do carro”, diz. A riqueza de detalhes impressiona. “Apesar de ser tratar de uma réplica, tentei deixar com um estilo vintage dos anos 50. As pedaleiras são cópias feitas artesanalmente e os retrovisores externos foram moldados em argila, para posterior fabricação do molde em fibra de vidro”, finaliza.

O resultado é dos melhores. Além do estilo baixo e do ronco instigante do motor boxer, é possível perceber como o Spyder é uma referência para muita gente. Alguns associam o carro ao ator norte-americano e outros olham sem parar, pensando talvez que este seja um autêntico modelo germânico.

Mas os detalhes não param por aí, como o proprietário foi me contando pelo caminho. “Radiador externo de óleo, bomba externa de gasolina, posição da alavanca de câmbio, macaco modelo original, buzina estilo original, plaqueta de identificação da carroceria e chassis, plaqueta de fabricante da carroceria, freio de mão original, rodas de cinco furos, embreagem hidráulica de época, pára-brisas pequeno, posição dos botões do painel e, para finalizar, cópias fiéis das lanternas dianteiras e traseiras utilizadas no modelo estão sendo importadas dos EUA”, ressalta. Isso é que é paixão.

O ronco do motor – que citei dois parágrafos acima – é fruto de 1.800 cm³ de cilindrada, equipado com um par de carburadores Solex P-II 4. Com essa combinação perfeita, o clássico só é abastecido com gasolina Podium.

Mas a história de amor não pára por aí. Fábio gosta tanto do modelo que não se separou dele nem no dia do casamento. “Fui com minha esposa até o local da festa a bordo do Porsche”, relembra com bom humor.

Como todo apaixonado por carro, ele foi atrás de um clube para curtir o hobby. Como não encontrou nenhum, acabou fundando – juntamente com outros amigos – o Spyder 550 Vintage Club, que reúne réplicas do modelo, além do 356, Super 90 e Speedster.

No site é possível dar uma olhada nos eventos e passeios que o clube promove, visitar links, participar do fórum de discussões e comprar alguma coisa na lojinha virtual. O visitante pode até ler o informativo “Little Bastard”, com tudo o que acontece por lá.

A sensação de andar no carro é muito boa. Para entrar, um pouco de ginástica. Primeiro coloquei a perna direita. Em seguida, foi a vez da esquerda e pronto. A posição de dirigir é extremamente baixa e o motor ronca alto atrás do motorista. Me senti – verdadeiramente – no grid de largada.

A certeza que fica é que o 550 Spyder desta matéria é uma verdadeira volta no tempo. Um ícone da Porsche, das pistas e símbolo eterno de liberdade e juventude. No caso de Fábio, um casamento perfeito. Literalmente falando, é claro.

Garagem do Bellote Ver tudo

Renato Bellote, 41, é jornalista automotivo em São Paulo e colunista do portal IG. Nesse canal traz avaliações a bordo de clássicos, superesportivos, picapes e modelos atuais do mercado.

Garagem do Bellote TV: paixão por carros!

Imagens protegidas pela Lei de Direitos Autorais (Nº 9610/98)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: