Ir para conteúdo

Mustang Shelby GT 500 é emoção do início ao fim

“Não há nada como polegadas cúbicas”. A frase, de autoria de Carroll Shelby, ficou imortalizada através de suas criações. Do mitológico Cobra, um roadster pra lá de arisco, aos imortais GT 350 e 500 da década de 60, o texano fez fama e se tornou uma lenda.

Mustang

Shelby GT 500

A primeira versão especial encomendada pela Ford foi em 1965. Ele teve liberdade e criou um projeto de veneno para o Mustang, que tornou o pony car rápido o suficiente para impressionar potenciais compradores e pilotos de fim de semana.
Mas os primeiros eram desconfortáveis e autênticos carros de corrida. Em 1967 o GT 500 foi lançado, com itens de conforto, um estilo inesquecível e a mesma fome de asfalto. Nessa época a versão KR, ou King of the Road, também teve muito destaque.

Mais de quatro décadas depois pude comprovar que o espírito dos primeiros modelos continua vivo no GT 500. A versão moderna do mito traz um desenho inspirado no passado, algo que se reflete nos bancos esportivos e no painel, além do charme das faixas que cortam a carroceria.
Ao girar a chave o ronco do motor V8 toma conta da rua. Um pouco mais de ênfase na pisada e a carroceria acompanha o balanço do bloco. Este, por sinal, é todo feito em alumínio, tem 5,4 litros, supercharger e despeja 550 cv. Faz jus, portanto, ao emblema da serpente na grade, volante e bocal do tanque de combustível.

550 cv

Rodando a sensação é de tranqüilidade. Como assim? Bem, desde que a idéia seja essa. Basta enfiar o pé no acelerador para ouvir o som peculiar do supercharger em ação e observar o ponteiro do conta-giros subir freneticamente até a faixa vermelha.
Algumas coisas não têm preço. Uma vez alguém me disse que não gostaria de ter nenhum supercarro na garagem, apenas dirigi-los por algum tempo e sentir a força de cada um. E encerro parafraseando o escritor russo Leonid Pervomaisky: “pouco importam as notas da música, o que conta são as sensações produzidas por elas”.

Garagem do Bellote Ver tudo

Renato Bellote, 41, é jornalista automotivo em São Paulo e colunista do portal IG. Nesse canal traz avaliações a bordo de clássicos, superesportivos, picapes e modelos atuais do mercado.

Garagem do Bellote TV: paixão por carros!

Imagens protegidas pela Lei de Direitos Autorais (Nº 9610/98)

Um comentário em “Mustang Shelby GT 500 é emoção do início ao fim Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: