Ir para conteúdo

Gol GTI: o esportivo pioneiro na injeção eletrônica

Há questão de duas semanas falei aqui sobre os hot hatches. O modelo, na ocasião, era o Escort XR3, que no Brasil não foi a perfeita definição do termo. De qualquer modo teve seus predicados e fez muita gente sonhar acordado.

Hoje chegou a vez de contarmos a história de outro modelo que teve uma trajetória de sucesso, se tornou um símbolo de carro-esporte e referência em desempenho no país no finalzinho dos anos 80 e também durante a década seguinte.

O “Salão do Automóvel” de 1988, como sempre, atraiu milhares de visitantes. Os apaixonados por carro foram em busca dos importados – ainda raros em nossas ruas – e que apareciam com destaque no pavilhão. Mas a maior estrela do evento estava no estande da Volkswagen e provocou alvoroço na feira.

O Gol GTI chamava a atenção pela tonalidade chamada de azul-mônaco, com pára-choques na cor cinza e rodas exclusivas, conhecidas como “pingo d`água”. A maior novidade estava debaixo do capô, já que o hatch foi o primeiro modelo nacional equipado com injeção eletrônica.

O motor de 2 litros e 120 cv com 18,3 kgfm de torque era algo realmente diferente na época. Basta imaginar que o propulsor foi emprestado pelo Santana, um sedã mais pesado e familiar. A mistura se mostrou divertida e o tempero na medida certa.

O GTI traz um interior agradável aos olhos. O acabamento é um de seus pontos fortes. À primeira vista se destacam os bancos Recaro com costuras aparentes e regulagem de altura. Eles são envolventes e acomodam o corpo da forma que se espera em um modelo com sangue quente.

Ao girar a chave, outra surpresa. O ronco do escapamento Kadron enche os ouvidos e mostra o verdadeiro espírito da versão. O mais interessante é escutar o ronco da máquina subindo de giro e aguçando o motorista a pisar fundo. Isso pode ser notado de forma clara também durante as reduções.

A ergonomia se destaca. Nesse ano a linha Gol recebeu um novo painel com comandos posicionados nas laterais, bem à frente do motorista, e de fácil manuseio. Desse modo não era preciso desviar o olhar da estrada para acionar as funções.

Também vale comentar sobre o volante conhecido popularmente como “quatro bolas”, que começou a equipar os esportivos da Volkswagen com o Gol GT e ganhou muitos adeptos em todo aquele período. O revestimento em couro garante uma boa pegada, mesmo em curvas mais fechadas.

Guiando é possível perceber que ele tem fôlego para justificar a sigla. As acelerações são rápidas e o bloco de 2 litros permanece sempre cheio nas retomadas. Divertido. E a transmissão de cinco marchas, que traz a coifa de câmbio com acabamento em couro, ajuda no desempenho e é um ponto positivo dos modelos da marca até hoje.

Os números de época mostram os números de 0 a 100 km/h em 10,3 segundos e velocidade máxima de 175 km/h. Pode parecer algo irrelevante hoje em dia, mas em 1988 fez do modelo o carro mais rápido do Brasil. Não haviam concorrentes pra ele nas estradas e muito menos em subidas de serra.

 Por essas e outras razões o GTI se tornou um clássico. Já encontramos exemplares dessa primeira série na casa dos R$ 45 mil reais. Caros ou não, os esportivos das décadas de 80 e 90 serão os últimos colecionáveis e quem quer um deles na garagem deve se apressar. Até a semana que vem!

Categorias

Artigos

Tags

Garagem do Bellote Ver tudo

Renato Bellote, 41, é jornalista automotivo em São Paulo e colunista do portal IG. Nesse canal traz avaliações a bordo de clássicos, superesportivos, picapes e modelos atuais do mercado.

Garagem do Bellote TV: paixão por carros!

Imagens protegidas pela Lei de Direitos Autorais (Nº 9610/98)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: